O tempo das coisas

by - 20:43

“Sou um caminhante lento, mas nunca caminho para trás” (Abraham Lincoln).

Passaram-se quase 10 meses desde que deixei meu país e minha zona de conforto pra trás pra vir recomeçar a vida literalmente aqui na Austrália. Tudo o que me era familiar e seguro ficou do lado de la do planeta Terra e aos poucos tive que reaprender e descobrir um monte de coisas, especialmente a meu próprio respeito. E talvez de todas, a mais importante e fundamental que percebi foi a de que tudo nessa vida tem um tempo e que é importante respeitar e entender isso.

Ingenuamente eu tinha a ideia de que tão logo colocasse os pés aqui nessa terra estrangeira, num curto espaço de tempo a minha vida tomaria a forma que eu havia planejado pra ela antes de sair do Brasil. Achei, inocentemente, que logo nos primeiros meses e com a experiência profissional que acumulei em mais de 15 anos de trabalho, iria encontrar uma posição semelhante a que eu tinha lá numa grande empresa aqui. Primeiro erro, primeira frustração, primeira lição. Tive que dar um passo pra trás e começar do começo como qualquer imigrante: fazendo faxina, servindo mesas, limpando louça, arrumando camas.

Apesar de ter tido a coragem de vender tudo no meu país de origem e deixar família e amigos pra vir me estabelecer num outro continente, essa mesma coragem me faltou quando tive que procurar trabalho aqui. Parece bobagem, parece frescura, mas garanto que não é. Ter que aprender novas coisas pode ser muito assustador, especialmente quando já não se é mais tão jovem assim.  E só quem já passou por essa experiência consegue entender de verdade sobre o que eu estou falando. A gente trava, paralisa, não consegue sair do lugar e avançar no jogo da própria vida. E o tempo passa, os dias se sucedem e a gente segue la estagnado, buscando força e bravura pra seguir adiante. A sensação de impotência e perda do auto-controle é terrível.

Quis o destino que eu conseguisse um emprego de garçonete num restaurante e como bônus fizesse meia dúzia de amigas que me ampararam, que me deram coragem, que me puxaram pra cima e me fizeram perceber que sim, eu poderia ir além, era apenas uma questão de entender o tempo das coisas e deixar que elas fluíssem no meu ritmo. Porque até isso eu tive que descobrir pela própria dor: que cada um de nós tem um momento, uma estação, um período de maturação exatamente como na natureza. Querer apressar esse passo é estupidez e pode fazer um estrago geral. É preciso viver cada etapa pra poder seguir adiante, pra ter segurança e auto confiança e, para então, passar para a próxima etapa.

Me certifiquei dessa teoria na prática na última semana quando fui chamada pra fazer um teste num café onde minha tarefa basicamente consistia em atender os clientes, anotar e cobrar os pedidos  e repassar pro barista. Se tivesse ido fazer esse mesmo teste a 5 ou 6 meses atrás, não teria feito tão bem como fiz agora simplesmente porque não me achava capaz, não tinha confiança e nem experiência suficiente. Dessa vez foi tudo muito simples e tranquilo porque eu estava pronta pra encarar um novo desafio. E quando me pego me questionando se não deveria ter vindo morar aqui anos antes, imediatamente me dou conta de que vim no tempo em que estava preparada pra isso. Talvez se tivesse vindo com 20 e poucos anos não iria aguentar a pressão, a saudade de casa, a enorme diferença cultural que existe entre Brasil e Austrália e certamente teria dado volta pouco tempo depois.

Esse mesmo tempo das coisas aprendi a aplicar e a respeitar para as relações. Quando cheguei aqui queria desesperadamente conhecer alguém pra firmar um compromisso sério, pra namorar. E de fato conheci alguns caras, uns bens legais e interessantes inclusive, mas de novo tentei acelerar o processo e me decepcionei. Foi no momento em que constatei isso e que relaxei que as coisas começaram a acontecer nesse sentido. Tudo parece que fluiu naturalmente sem que eu me desse conta.

Antes eu comparava a minha trajetória com a de algumas pessoas que já estão em outro nível do jogo mais avançado do que o meu e me perguntava por quê eu não conseguia avançar tão velozmente como elas. Foi só quando olhei pra minha própria estrada e vi o tempo das minhas coisas que deixei de lado essa mania de traçar paralelos. Nesse instante realizei a frase que está lá em cima e que melhor me define: sou um caminhante lento, mas nunca caminho para trás. Resolvi parar de me cobrar, resolvi desacelerar e prestar a atenção na estrada.


Porque a minha caminhada, apesar de estar sendo feita em baixa velocidade, é constante e avante. E vai haver o dia em que eu vou chegar exatamente onde eu quero.




Veja mais Posts

7 comentários

  1. Vai haver, sim, Lu! Torcendo muito pelo sucesso da sua caminhada e principalmente para que a alegria esteja sempre presente nela.
    ~Karol

    ResponderExcluir
  2. Estou impressionado com a qualidade do texto, adorei! Parabéns por todo esforço e coragem, conheci recentemente teu blog e curti muito. Estou na mesma situação que ti em um lapso de tempo atrás...idade não mais tão imaturo, e juntando tudo para ir para Austrália que, pode parecer feitiço, o país me pegou, quero morar aí. Por favor, conte nos mais em seus belos relatos sobre como está sendo o processo, quando acaba o teu curso, como vai fazer para pedir a residência, se já está adaptada com a moradia, se está feliz... Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Estou impressionado com a qualidade do texto, adorei! Parabéns por todo esforço e coragem, conheci recentemente teu blog e curti muito. Estou na mesma situação que ti em um lapso de tempo atrás...idade não mais tão imaturo, e juntando tudo para ir para Austrália que, pode parecer feitiço, o país me pegou, quero morar aí. Por favor, conte nos mais em seus belos relatos sobre como está sendo o processo, quando acaba o teu curso, como vai fazer para pedir a residência, se já está adaptada com a moradia, se está feliz... Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Amei a frase:
    Porque a minha caminhada, apesar de estar sendo feita em baixa velocidade, é constante e avante. E vai haver o dia em que eu vou chegar exatamente onde eu quero.
    Creio que seja exatamente assim.
    Parabens,Deus te abencoe

    ResponderExcluir
  5. Conheci agora sua história. Só passei aqui pra desejar que você tenha força pra alcançar seus objetivos.

    ResponderExcluir