Os acessórios pra vivermos felizes pra sempre

by - 00:08

Dia desses num churrasco com alguns amigos onde a maioria era casado, o assunto girava em torno da vida a dois, da rotina que se estabelece e principalmente, do espaço físico constituído pelo casal. Juntamente com um amigo solteiro como eu, fiquei ouvindo com um certo espanto os depoimentos daqueles que vivem o comercial de margarina que a platéia tanto adora. E tirei minhas próprias conclusões.

Me parece que encontrar o par perfeito, a outra metade da laranja, a alma gêmea ou o chinelo velho pro pé torto, já não basta pra ser feliz para sempre. Depois que a busca finalmente acaba e a presa está devidamente capturada, é preciso ostentar a conquista como se fazia na idade média quando a caça era exibida e ovacionada em praça pública. E tudo começa pela festa de casamento (vou deixar de fora o ensaio fotográfico anterior do casal e o chá de lingerie/panela). Hoje em dia usar um vestido branco e atravessar a igreja de braços dados com o pai pra encontrar lá no topo do altar o príncipe encantado com lágrimas nos olhos, ja não é mais suficiente. Oferecer pra família e amigos mais chegados uma festa simples, mas de bom gosto, só pode ser sinal de azar. Porque toda e qualquer festa de casamento da modernidade virou um espetáculo digno da Broadway, onde inclusive os noivos apresentam coreografias de gosto duvidoso com a intenção de garantir o entretenimento dos convidados. Como diria Gilberto Gil na célebre canção Palco, quanto mais purpurina melhor. E lá pelas tantas a noiva aparece mascarada e enrolada num boá de plumas, o noivo ostenta um chapéu de irlandês na cabeça e os espectadores presentes são brindados com acessórios esdrúxulos pra entrar no clima. Porque sem toda essa alegoria não há como ser feliz no matrimônio, você há de convir comigo.

Tenho a nítida sensação de que a vida à dois pra ser de fato boa precisa ser enfeitada com acessórios inúteis tal qual uma árvore de Natal, como se fossem eles os responsáveis pelo sucesso ou fracasso da relação. O menos nesse caso não é mais. O apartamento JK que antigamente era suficiente pro casal de pombinhos começar a vida e se amar, foi substituído por um imóvel de no mínimo 3 dormitórios, espaço gourmet e churrasqueira num condomínio clube onde vivem pelo menos mais 200 famílias umas sobre as outras. E depois de adquirido e parcelado em 35 anos, ainda é preciso decorá-lo como mandam as páginas da Casa Vogue. Do contrário, me parece que a felicidade conjugal corre sérios riscos de ser ameaçada.

Se a panela pro trivial do dia a dia não for uma Le Creuse adquirida na última ida à Miami e paga a peso de ouro, a comida não vai nunca ficar boa e o relacionamento estará ameaçado de morte. Aliás, trivial nem se faz mais. O arroz, feijão, bife e salada de antigamente foi substituído por algum prato elaborado da culinária internacional. A felicidade conjugal à base de sanduíche pro jantar já não existe mais faz tempo.

Se a cozinha planejada não tiver sido montada, se o banheiro não tiver box de vidro, se na sala não tiver uma adega eletronicamente climatizada e cheia de vinhos importados, não poderemos ser felizes. Se os acessórios pra preparar o almoço não tiverem sido comprados na Ikea; se os lençóis pro nosso ninho de amor não forem 100% de algodão egípcio e se não tivermos um closet pra cada um, nosso casamento pode estar perto da falência.

Vejo ao meu redor muitos casais mais preocupados em decorar seus apartamentos e mostrar pro mundo que sim, eles tem capital suficiente pra bancar tudo isso, do que realmente construir e cuidar de uma relação forte que sobreviva aos perrengues da vida. Sobram cortinas, tapetes e móveis planejados, mas faltam carinho, respeito, confiança, liberdade e tolerância. Sobra ostentação e falta muita admiração. Acho triste.



Veja mais Posts

7 comentários

  1. Menina de ar, você é anônima? Não achei nenhuma informação muito pessoal aqui no blog... Quero saber seu signo!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Luiza!!! Esse post aqui conta bem no detalhe algumas coisas à meu respeito. http://meninadear.blogspot.com/2014/04/please-to-meet-you-hope-you-guess-my.html
    Beijo pra ti e obrigada pelo comentário!

    ResponderExcluir
  3. E eu ainda querendo duvidar da minha intuiçãonite aguda... Prazer, daqui desse lado vive outra aquariana desprovida de preconceitos. O blog tem fanpage? Beijo pra vc também!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Luiza!!! Se tu é aquariana então tu me entende direitinho :-) Nós, aquarianos, os eternos incompreendidos que vivem lá na frente, onde ninguém chegou ainda. Prazer é meu te ter como leitora desse blog tão simplinho. Tomara que tu goste e venha sempre aqui e na Fan Page do Facebook.
    Á propósito, como tu ficou sabendo do blog? (curiosidade de aquariana, sabe como é :-))
    Beijo pra ti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Menina de Ar! Então, acho que eu devo estar em algum ranking das pessoas que passam horas garimpando, pelos milhões de sites de comportamento, textos inspiradores dos anseios que a vida me presenteia.
      Como uma boa aquariana que sou, acho que descobri tua identidade e me dei o direito de adicioná-la. Não se intimide, por favor! kkk :)
      Beijo!

      Excluir
  5. "Como diria Gilberto Gil na célebre canção Palco, quanto mais purpurina melhor"... Na verdade a música, é Realce :-)

    ResponderExcluir