Como trazer a pessoa amada com R$ 2.000,00

by - 01:21

Eu nem sei que título dar pra esse post. Pensei em tanta coisa, do tipo:  "a bizarrice do mundo humano bizarro", "o desespero humano", "onde enfio meu dinheiro" e por aí vai. O fato é que li essa notícia no Terra agora e depois de rolar de rir, comecei a pensar no que levou um cara que mora no Arpoador, uma zona nobre do Rio de Janeiro, a pagar R$ 2.000,00 a um pai de santo que prometia trazer a pessoa amada em 3 horas. Só posso acreditar que o cara tava no fundo do fundo do fundo do poço de desespero pra acreditar nessa promessa esdrúxula e pra pagar essa quantia. Não posso acreditar que se trate de uma pessoa ignorante, embora o cachê pago ao pai de santo e a localização da residência do cliente me levem a pensar no contrário. 
Se o problema do sujeito era a distância geográfica da sua pessoa amada, ele poderia ter usado esses R$ 2.000,00 pra comprar uma passagem aérea e ir visitá-la. Ou comprar a passagem e mandar que a pessoa amada fosse até o Rio de Janeiro encontrar com ele. Com R$ 2.000,00 se compra uma passagem pra ir até a Austrália e ainda dá pra parcelar em 10X sem juros em qualquer cartão de crédito (duvido que o pai de santo oferecesse essa condição de pagamento).
Se o problema do cara não era a geografia e se a pessoa amada estivesse no bairro ao lado, ele deveria ter usado esses R$ 2.000,00 pra fazer chover pétalas de rosa sobre a casa da dita cuja. Mulher nenhuma resiste a uma chuva de pétalas de rosa (exceto essa que vos escreve, que acha uma breguice no nível mais alto). Ou ele poderia ter comprado uma jóia bem bonita da H.Stern, da Vivara ou de qualquer outra joalheria. Ou poderia ter comprado uma roupa bem bonita de uma grife internacional qualquer. Ou poderia ter mandado fazer um outdoor pra colocar na porta da casa da amada, declarando todo o seu sentimento mais profundo por ela. 
Sei lá, com R$ 2.000,00 ele poderia ter feito qualquer coisa legal pra tentar trazer de volta a pessoa amada, menos ter pago a um pai de santo!


Veja mais Posts

0 comentários